Home » Archive

Articles tagged with: rock

[1 mar 2013 | por Flávio Lerner | Nenhum Comentário | 866 views]

A.k.a a melhor coisa que poderia acontecer na sua sexta-feira, certo?

Natasha Khan, minha linda, estava com saudades! Te cuida com essa turma do Garibaldo aí!

Darwin Deez sempre genial nos vídeos. Tenho uma camisa igual a do negro dos 03:06’.

David Bowie, não lembro da última vez em que você esteve tão gata! [Esse vídeo representa o máximo de peitinhos que vocês vão ver na edição de hoje. Sorry.]

Thom Yorke menina Thom Yorke dancinha de novo Thom Yorke Thommy Thommy Thom Yorke é menina menina é Thom Yorke Thom Yorke clonagem Thom Yorke Steven Seagal Thom Yorke terno bonito Thom Yorke menino menine Thom Yorke epilepsia Thom Yorke Ian Curtis Thom Yorke novo mene do Thom Yorke rosto nos seios Thom Yorke átomo da paz.

Agora eu quero ver você dançar assim, Thomzinho!

[19 fev 2013 | por Flávio Lerner | 3 Comentários | 561 views]

E o sensacional duo australiano Flight Facilities – destaque do último MECA Festival – liberou o segundo DJ Mix da série Flight Facilities for ‘triple j Mix Up Exclusives’. Se a primeira parte nos narrava toda a história da música e do mundo de 1972 a 1982, agora partimos de 1982 até 1992 em mais uma viagem épica cheia de minúcias, registros históricos [via queda do muro de Berlim] e música boa – tudo isso costurado bem pra caramba.

Tracklist:

01. Sylvester – Do You Wanna Funk?
02. Brad Shitt – Casbah Breakdown
03. Solomun – Love Recycled
04. The Human League – Don’t You Want Me? (Aeropop Edit)
05. Goblin – Tenebre
06. Death On The Balcony – Cruel Banana
07. Herbie Hancock – Rockit
08. The Pointer Sisters – Automatic
09. Matthew Wilder – Break My Stride
10. B-Beat Girls – For The Same Man
11. Cybotron – Clear
12. Michael Jackson – PYT
13. New Order – Blue Monday
14. Laid Back – White Horse
15. Pet Shop Boys – West End Girls
16. Miami Sound Machine – Dr. Beat
17. Madonna – Lucky Star
18. Toecutter – Best Party Ever (Flight Facilities Edit)
19. Seidah Garrett – Do You Want It Right Now?
20. Limahl – Never Ending Story
21. Bronski Beat – Smalltown Boy
22. Bangles – Dub Like An Egyptian (Todd Terje Edit)
23. Nu Shoes – I Can’t Wait
24. David Bowie – Magic Dance
25. Bruce Hornsby – That’s Just The Way It Is
26. Janet Jackson – What Have You Done For Me Lately
27. Rick Astley – Never Gonna Give You Up (Drop Out Orchestra Dub)
28. Fleetwood Mac – Everywhere (Psychemagik Edit)
29. Harold Faltermeyer – Axel F
30. Steve “Silk” Hurley – Jack Your Body
31. Paul Simon – You Can Call Me Al (Flight Facilities Edit)
32. Yello – Oh Yeah
33. John Farnham – Age Of Reason
34. Salt n Pepa – Push It
35. Technotronic – Pump Up The Jam
36. The B-52′s – Love Shack (Losoul Bitshit Edit)
37. Adamski – Killer feat. Seal
38. Dee Lite – Groove Is In The Heart
39. De La Soul – A Rollerskating Jam Named Saturdays
40. Prince – Cream
42. Annie Lennox – Walking On Broken Glass

* Mais uma vez os caras recomendam o download e execução do mix no iPod ou na artwork box do iTunes.

** Pra sacar melhor que diabos são esses mixes, da onde vêm, do que se alimentam, etc. e ouvir a primeira parte da série, é só clicar aqui. Quer dizer, não basta clicar, tem que ler também. Quer moleza senta no colo do André Marques.

[7 fev 2013 | por Flávio Lerner | 3 Comentários | 618 views]

Ontem, em algum lugar secreto no cosmos, acompanhado por figuras ilustres como Elvis, Steve Jobs, Michael Jackson e os roteiristas dos Simpsons dos anos 90, Bob Marley comemorava seus 68 anos com muita classe, fumaça e fungos nas unhas dos pés.

Pra celebrar a data de um dos maiores mitos da música pop, dois produtores bastante distintos apresentaram suas respectivas homenagens. Psilosamples, o ~~Chico Bento da música eletrônica~, tão destacado aqui no blogue ano passado, lançou track nova com samples de um dos maiores clássicos do tio Bob: Três Passarinhos.

Subindo a américa, o californiano J Boogie resgatou à tona seu edit dub de dois anos atrás pra Trenchtown Rock – canção da época de Bob Marley & the Wailers, quando Bob não era mainstream, usava terno e tomava banho [pra alegria da Luísa].

Algo me diz que Maulei deve ter muito ficado feliz vendo as homenagens direto do Macbook™  do Steve Jobs.

[6 fev 2013 | por Flávio Lerner | Nenhum Comentário | 359 views]

E o Poolside não foi o único artista a homenagear em seu disco o Neil Young em 2012. O cultuadíssimo quarto álbum do Chromatics, Kill For Love (Italians do It Better, 2012), apresenta logo de cara mais uma releitura lindona pro tio Neil.

Pro cara conseguir originar dois covers foderengos de duas bandas foderengas que lançaram álbuns foderengos no mesmo ano, e ainda ambos representantes de uma estética bastante diferente da de Neil – a música eletrônica –, só comprova o alcance e a força do tio.

Aqui a original, chamada Hey Hey My My (Into the Black):

[31 jan 2013 | por Flávio Lerner | 7 Comentários | 896 views]

Meu principal objetivo no MECA 2013 – realizado no último sábado em hotel fazenda em Xangri-Lá, como tínhamos anunciado aqui – era ver o DJ Set do duo australiano Flight Facilities. Com uma performance muito boa – tanto tecnicamente quanto em feeling e repertório –, saí de lá livre-leve-e-faceiro, com as expectativas correspondidas.

Eis que ontem, ainda no clima, resolvi ouvir um DJ Mix deles que tava na minha to do list desde o seu lançamento no Soundcloud, há uns 20 dias: a primeira parte do Flight Facilities for ‘triple j Mix Up Exclusives’. Quanto mais eu ouvia, mais perplexo eu ficava de QUÃO FODA era tudo aquilo – os caras tinham mixado com maestria um monte de coisa boa dos anos 70 [sendo boa parte versões originais!] com recortes de áudio de momentos históricos da época.

Dando uma lida no blog dos FF, deu pra sacar do que se trata: convidados pelo projeto da rádio australiana triple j – em que um artista apresenta nada mais nada menos que QUATRO DJ MIXES em UM MÊS –, os Flight Facilities mostraram que são nerds pra caramba e transformaram a limonada em um coquetel siciliano ciborgue devorador de rottweilers alemãos. Como?!, vocês perguntam. Muito simples, eu respondo: transformando cada mix em documentos históricos de dez anos, viajando de 1972 até 2012.

Pra entregar tudo isso no último outubro, foram necessárias horas e horas de pesquisa [com mais de 10 mil músicas ouvidas, segundo eles], criação de alguns edits pra poder encaixar melhor nas transições e mais horas e dias pra pesquisar os principais acontecimentos globais de cada ano. Feita a pesquisa, as mixagens das tracks seguem uma ORDEM CRONOLÓGICA – o que facilmente comprometeria um trabalho de fluidez e continuidade em um Mix, mas não, OS CARAS CONSEGUIRAM FAZER TUDO DESCER SUAVE –, com os recortes históricos aparecendo conforme o ano da música que está tocando [!!!]. Sim, um trabalho brutalmente obsessivo e genialmente psicopata.

O Mix acima é , portanto, a primeira parte dessa viagem épica pelo maravilhozzo mundo da música, sendo de 1972 a 1982, começando com Stevie Wonder e terminando com Queen & David Bowie [clique aqui para ver o set list]. E sim, o projeto foi ao ar em outubro, mas só agora eles começaram a soltar no Soundcloud, então aguardamos as próximas partes com ansiedade e podem deixar que postarei aqui assim que elas forem vazando.

* Momento chato-moralista-necessário: Uma cena não se constrói com o hype. Se você gostou do set do Flight Facilities no MECA, procure dar um pouco mais de atenção à sua própria região. Existem incontáveis DJs dedicados e com uma pegada parecida com a dos FF buscando um lugar ao sol perto de você, é só se antenar.

** Desconsidere o fato do Mix ter uma hora. Vai passar voando [RISOS].

*** A história toda com mais detalhes, fotos e etc. tá lá no blog dos caras.

[25 jan 2013 | por Flávio Lerner | Nenhum Comentário | 1.173 views]

Nada engraçadinho nem revolucionário, o tumblr da vez é baseado em uma premissa que nunca fica velha: compartilhar música. Naquela proposta de fazer mini-playlists temáticas – que inclusive já ensaiamos fazer por aqui um tempo atrás, mas que não levamos adiante por preguiça – o tumblr Seis Músicas tenta dar mais um sentido às nossas patéticas vidas ao compilar as tracks mais apropriadas pra’quelas situações que todo mundo um dia já passou ou ainda vai passar [aguardando ansiosamente a Seis Músicas Pra Se Conformar Depois de Outro Assalto]. Procurando evitar os clichés, a parada vai de Kings of Convenience a Erasmo Carlos [via a metade da dupla que não se vendeu].

A iniciativa é bem nova e já conta com quatro playlists, como essa:

(6×04) SEIS MÚSICAS PRA QUEBRAR TUDO by Seismusicas on Mixcloud

 

Pra conferir mais é só sacar o tumblr na íntegra >>>AQUI<<<. Flw.

[16 jan 2013 | por Flávio Lerner | Um Comentário | 725 views]

Thom Yorke é um gênio. Um gênio fuderengo que não tem limites pra se expressar artisticamente. Além de frontman de uma das melhores bandas vivas do eixo da terra [se não a melhor], Thom parece que pode ser o que quiser: cantor, compositor, instrumentista, produtor, poeta, ilustrador, pensador, crítico consciente, remixer, DJ [for real, não um Elieser da vida] e, claro, dançarino.

Pra nova edição da revista Dazed & Confused, Thom deu declarações sinceras sobre a vida, falou do disco de estreia do Atoms for Peace – grupo que integra com outros carinhas tipo o Flea e o Nigel Godrich – tirou umas fotos mTo LoKaS e soltou um mix exclusivo, construído no estúdio com o próprio Nigel, com várias tracks que nunca tinham visto a luz do dia – a grande maioria, material próprio.

A pilha é aquela loucurada toda experimental, meio IDM meio muzzarella, que já sabemos que o Thom vem curtindo há anos. Um baita presente pra quem é fã ou pra quem curte uma psicodelia digital. Só que os caras da revista são pentelhos pra caramba [taí uma expressão que as pessoas pararam de usar e deveria voltar. Pentelho!] e não deixam a gente compartilhar o som aqui, então você tem que ouvir direto na página deles.

* Dá pra ouvir também no player abaixo, pelo menos até ser removido:

Tracklist:

1.Thom Yorke – Cycles MK 3
2.Atoms For Peace – You Wouldn’t Like Me When I’m Angry (Unfinished Mix)
3.Mali Musicians – Mali: Kono, the Sacred Bird
4.Liars – Proud Evolution (Thom York 500quid Rmx)
5.Thom Yorke – I Don’t Need An Excuse (Unfinished)
6.Radiohead – Bloom (Treatments)
7.Anstam – Morning Shiver Down The Back Wood River
8.Radiohead – Give Up The Ghost (Thom Yorke Rmx)
9.Atoms For Peace – The Grind – Average Joe Vs Unless

 

Sempre tem também quem não curte o som e só gosta do Radiohead porque acha o Thom Yorke um pão, então aí vão algumas fotos do ensaio sensual pra Dazed:


[10 jan 2013 | por Flávio Lerner | 2 Comentários | 792 views]

Alô 2013! A semana nem acabou e já temos motivo suficiente pra destacar-os-destaques de uma turminha da pezzada que está prometendo voltar com tudo, para nosso deleite!

Tio Bowie, de aniversário anteontem, lançou música nova depois de dez anos.

Foals * Foals * Foals !!!

Morrissey-morrissette é outro tiozão com novidades apresentadas em rEdE nAcIoNaL.

O ator-cantor-empresário-modelo-e-atriz Justin Timberlake é um dos poucos artistas pop-arena-mainstream atuais que podem ser levados a sério [mesmo tendo participado do N’Sync...]. E ele finalmente está voltando!

E também temos a volta do New Order [!!!], que lança dentro de poucos dias o EP Lost Sirens (Rhino/Warner, 2013).

Seguimos na espera pelas manifestações do Daft Punk e do OutKast.

[7 jan 2013 | por Flávio Lerner | 2 Comentários | 651 views]

Tô longe de ser fã de Black Sabbath, mas não dá pra negar que Planet Caravan seja uma música fantástica. Assim também pensam os caras por trás do Poolside, uma das mais gratas surpresas de 2012 – e que, por sinal, figura na nossa lista de discos favoritos desse ano que acaba de acabar.

O duo californiano meteu a mão na canção setentista com competência suficiente pra agregar a sua tradicional pegada disco/chill mexendo o mínimo possível na estrutura da parada toda – observem que se trata de um re-edit, não de um remix propriamente dito, justamente porque não é feita nenhuma “revolução” na música.

Aposto que os fãs NÃO XIITAS de Black Sabbath [se é que eles existem] vão reconhecer que o Poolside acertou na mosca.

E aqui como de praxe, a original:

[4 jan 2013 | por Flávio Lerner | 5 Comentários | 863 views]

Depois de taaaaanta chafurdação nos highlights de 2012, tá na hora de olhar pra frente. E pro verão escaldante gaúcho, os próximos dias antecipam a chegada da terceira edição do refrescante MECAFestival, o nosso pequeno Coachella dos pampas.

Como já cobrimos aqui desde a primeira edição, em 2011, o MECA é sucesso [via Bibo Nunes]. Os line ups sempre se preocuparam em ser relevantes atualmente, em trazer artistas fresh, e a corresponder aos fatores geográficos que o determinam – isto é, é um festival de verão, com artistas que casam com a summer breeze, sejam eles da música eletrônica, do rock ou de tUdO uM pOuCo. Suamos como nunca com as batidas frenéticas de Two Door Cinema Club e Vampire Weekend na praia de Atlântida [o que pra mim ainda soa surreal], assim como curtimos The Rapture [!!!], dançamos lindamente ao som de Mayer Hawthorne sob o luar e aos grooves espertos do set do Breakbot na Fazenda Pontal, entre tantos outros.

Pra 2013, no próximo dia 26, na mesma Fazenda Pontal, teremos Citizens!, Dragonette, Flight Facilities, Friends e Zulu Winter. À exceção do Dragonette, trio canadense com o maior apelo pop da escalação, todos são artistas com carreiras em ascensão, que se destacaram bastante na última temporada. O duo australiano Flight Facilities – meus favoritos – são os melhores representantes da tal vibe do verão; os Citizens! levam por trás o dedo de [sem piadas óbvias] ninguém mais ninguém menos que Sir Alex Kapranos; o Friends chegou a sair na lista de promessas da BBC; e o Zulu Winter foi elogiado por sites como o Guardian com menos de meio ano de vida.

A abertura ainda conta com o DJ e produtor inglês Dark Horse – com EPs lançados pelo selo DFA [do James Murphy] – e com o team brazuca: Holger, banda paulistana em alta total, Database, duo de destaque internacional, e as novidades gaúchas Tess e Dis Moi.

Os ingressos já estão à venda, o primeiro lote já esgotou, e recomendamos muito que vocês comprem e já planejem a viagem que sempre vale bastante – não somente pela qualidade de bons shows, mas pela experiência incrível de viver um festival de um nível e energia que até três anos atrás jamais sonharíamos em ter por aqui. Nós certamente iremos, veremos e venceremos.

                * Mais informações de utilidade pública vocês encontram na página do festival.

                ** Recomendo também o ótimo texto do Gustavo Brigatti, que saiu na Zero Hora uns dias atrás. Jornalismo de verdade, gente!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...